sábado, 12 de março de 2016

6 mortes de escritores mais esquisitas que a ficção

O Goodreads, rede social voltada para recomendação de livros, fez uma lista com seis autores cujas mortes bizarras aumentaram ainda mais a sua fama — para o bem ou para o mal. Confira:

Edgar Allan Poe


 Um dos maiores autores de mistério e horror, Poe teve uma vida rodeada de mistério e estranheza. Foi considerado o primeiro autor americano a viver somente de sua literatura, o que lhe trouxe pouca estabilidade financeira e uma vida, em geral, bastante difícil. Certo dia, foi encontrado perambulando por Baltimore, "claramente perturbado". Foi levado ao hospital às pressas, onde morreu pouco tempo depois — e ninguém sabe o motivo. Entre as possíveis causas, estão excesso de álcool e drogas, tuberculose e até suicídio. Mas as teorias conspiratórias não param por aí. Uma das hipóteses mais aceitas é que Poe foi vítima de "cooping", uma ação eleitoral truculenta, organizada por gangues, que capturava pessoas aleatórias (em geral, as que estavam à margem da sociedade) e as forçava a votar inúmeras vezes em um único candidato. Para isso, a gangue embebedava as vítimas, para que não resistissem tanto à agressão. Como o escritor morreu em um ano eleitora, isso explicaria por que ele foi encontrado em forma tão lastimável no dia de sua morte. Infelizmente, nunca teremos certeza.

Em seu atestado de óbito, consta que Poe morreu de "congestão cerebral". Com um diagnóstico vago como esse e uma vida envolta em mistério, não é à toa que, até hoje, conspira-se sobre a verdadeira causa de morte desse escritor tão célebre.

Dante Alighieri

Considerado o primeiro poeta de língua italiana, Alighieri teve uma vida agitada — inclusive depois da morte. Nascido em Florença, o escritor foi exilado de sua cidade em uma medida bastante agressiva; até mesmo seus filhos foram expulsos de sua terra. Triste e decepcionado, o autor viajou por diversas cidades italianas, tendo seu destino final a cidade de Ravenna, onde morreu, ao que tudo indica, de malária. Após sua morte, a população de Florença se arrependeu do tratamento tão duro dado a um de seus artistas mais importantes, e logo nasceu uma comoção popular de que os restos mortais de Alighieri fossem trazidos de volta. O povo de Ravenna não perdeu tempo: exumou a ossada do poeta em uma parede, para que fosse impossível de encontrar. Por séculos, o esconderijo funcionou perfeitamente: os ossos de Dante só foram encontrados depois que a cidade passou por uma caprichada restauração. Então, uma parte foi enviada para Florença, enquanto alguns dos ossos permaneceram na cidade — e outros, é claro, foram roubados nesse ínterim.

Tennessee Williams


 

A morte do autor de "Um Bonde Chamado Desejo" foi tão banal que dá até medo de acontecer com a gente também. Aos 71 anos, o dramaturgo descansava tranquilo em um quarto de hotel em Nova York quando sentiu um incômodo no olho. Como isso era bastante frequente, Williams carregava sempre consigo um colírio, que tinha o hábito de abrir com a boca. Williams foi encontrado horas depois, no mesmo quarto, morto — havia engasgado e sufocado até a morte com a tampinha do colírio. Para os médicos que estudaram o corpo do escritor após a morte, não foi apenas um acidente trágico: o constante uso de drogas e álcool provavelmente afetou os reflexos de Williams, que não conseguiu se livrar da tampinha a tempo.

Jaqueline Susann

 

A morte de Susann não foi estranha; infelizmente, a autora de "Vale das Bonecas" morreu de câncer com apenas 56 anos. O curioso foi o que aconteceu depois: seu marido, Irving Mansfield, optou pela cremação da esposa — e guardou as cinzas da amada em uma urna em formato de livro, que ficava na estante, bem ao lado das obras que publicou ao longo de sua carreira. Romântico ou simplesmente bizarro?

Ésquilo


Quando a morte acontece por conta de algum erro ou distração, como no caso de Tennessee Williams, é lamentável. Mas quando é o mais puro acaso (ou melhor, falta de sorte total) que leva uma pessoa dessa para a melhor, é ainda mais triste. É o caso de Ésquilo, dramaturgo grego, que estava tranquilo ao sol, pensando na vida, quando uma tartaruga atingiu sua cabeça em cheio, matando-o instantaneamente. Um contemporâneo de Ésquilo, Valerius Maximus, encontrou a resposta para o infortúnio: à época, era comum encontrar águias voando por cima das cidades. Quando capturavam tartarugas para servirem de almoço, as aves arremessavam suas presas em cima de rochas, para que o casco se espatifasse e pudessem comer a parte mole do animal. Muito provavelmente, a águia viu Ésquilo lá de cima, confundiu-o com uma rocha e arremessou a tartaruga para quebrá-la, trazendo decepção para todos os envolvidos.

Percy Shelley

 

O poeta inglês, marido da autora de Frankenstein, morreu afogado no mar — o que por si só já é bastante trágico. Contudo, o drama não terminava por aí: ao ser cremado, todo o corpo de Percy se transformou em cinzas... exceto o coração, que permaneceu intacto. O órgão foi entregue a uma assustada Mary Shelley, e por muito tempo o mistério ficou sem resposta. Hoje, a ciência já desvendou o segredo: muito provavelmente, o coração de Shelley vinha se calcificando ao longo do tempo, tornando-o mais resistente ao fogo. Menos fantasmagórico, mas certamente muito poético.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

O que é um tordo?

 

O tordo comum, nome científico Turdus philomelos, é um passarinho da família Turdidae, natural da Europa, norte da África e Oriente Médio. Mas nós sabemos por que você fez essa pergunta: por causa do mockingjay, nome em inglês da ave símbolo da trilogia Jogos Vorazes. Mas são animais diferentes. O mockingjay é um pássaro fictício, cujo nome foi traduzido para "tordo" em português. E fica mais complicado: o mockingjay do livro é resultado do cruzamento de um mockingbird (ou rouxinol), um pássaro de verdade, com o jabberjay (o "gaio tagarela", na versão em português), um pássaro fictício. Na história, os jabberjays eram criações da Capital para espionar os rebeldes. Uma vez desmascarados, os pássaros foram abandonados nas florestas pela Capital. Exclusivamente machos, cruzaram com fêmeas de mockingbird (rouxinóis) e deram origem aos mockingjays. Enfim, o tordo de verdade existe, mas não tem nada a ver com o tordo fictício, o mockingjay.
 
Quem é quem?
Entenda essa papagaiada de aves reais e fictícias
 
Mockingbird (rouxinol)
CATEGORIA:Real
CARACTERÍSTICAS: Imita o canto de outras aves e sons de insetos e anfíbios
Típico dos EUA, de tamanho médio, bico longo e fino, e penas marrom-acinzentadas com detalhe branco nas asas. Em Jogos Vorazes, procria com o jabberjay
 
Jabberjay (gaio tagarela)
CATEGORIA: Fictício
CARACTERÍSTICAS:Memoriza e repete conversas humanas
De plumagem preta e azul, com cauda e bico longos, crista imponente, foi criado nos laboratórios da Capital com o objetivo de espionar os revolucionários dos distritos
 
Mockingjay (tordo)
CATEGORIA:Fictício
CARACTERÍSTICAS:Reproduz melodias humanas
As cores são similares às do mockingbird, mas tem estrutura parecida com o jabberjay: cauda longa, asas extensas, bico fino e pronunciado. É o grande símbolo da revolução
 
Tordo
CATEGORIA: Real
CARACTERÍSTICAS:Repete sons de sirene, telefones e o canto de outros pássaros
É castanho no dorso e na cabeça, e amarelado com manchas escuras no ventre. Não entra na história de Jogos Vorazes, mas o seu nome foi usado como tradução de mockingjay

domingo, 31 de janeiro de 2016

[Referência Literária do Dia) Anne Hathaway




A atriz Anne Hathaway é uma das mais talentosas da nova geração. A atriz atuou em diversos filmes conhecidos do grande público, como Batman, Interstellar, tendo, inclusive, ganhado um oscar de melhor atriz coadjuvante por seu papel em Os Miseráveis. O que pouca gente sabe é que seu nome é uma homenagem dos seus pais ao escritor William Shakespeare, cuja esposa chamava-se justamente Anne Hathaway.

sábado, 30 de janeiro de 2016

JK Rowling revela escola brasileira de magia, Castelobruxo

Por meio do site Pottermore, durante o dia da "Celebração de Harry Potter", a autora JK Rowling revelou onde ficam as 11 escolas de magia que existem no seu mundo fantástico. Entre elas está uma situada no Brasil chamada CasteloBruxo. Veja a arte do local:


O recinto, segundo texto publicado no site, fica dentro uma floresta tropical e é um belo castelo que não pode ser visto pelos trouxas - eles acham que é apenas uma ruína. O guardião é o Caipora, famosas criaturas do folclore brasileiro que são descritos por Rowling como seres misteriosos que surgem na noite para proteger alunos e os animais da região.
Uma antiga diretora da escola era Benedita Dourado, que já ofereceu alguns Capioras para Hogwarts, para que servissem de proteção para a Floresta Proibida. A autora diz ainda que os alunos de Castelobruxo se destacam em Herbologia e Magizoology. Dois dos nomes mais famosos que passaram pelo local foram os bruxos Libatius Borage, famoso pocionista, e o jogador de quadribol João Coelho.
Além desta, Rowling também revelou o nome da escola dos EUA, Ilvermorny. Outras são Uagadou na África, Mahoutokoro no Japão, que também ganharam mais informações. Veja o mapa divulgado no Pottermore:

sábado, 2 de janeiro de 2016

[Referência Literária do Dia] Lana Del Rey


A cantora Lana Del Rey possui uma tatuagem em seu braço direito com os dizeres: "Nabokov Withman". Trata-se de uma homenagem ao escritores Vladimir Nobokov e Walt Whitman.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

[Referência literária do dia] Sasha Grey




Sasha Grey é uma ex atriz pornô que ficou conhecida fora do mundo da pornografia por estrelar o filme Confissões de garota de programa, do diretor Steven Soderbergh (Onze Homens e um segredo). Depois disso, ela largou a pornografia e virou uma espécie de musa "nerd", aparecendo em diversos programas, séries e filmes, além de ter escritos alguns livros. Pouca gente sabe, mas seu nome real é Marina Ann Hantzis. A atriz adotou o pseudônimo Sasha Grey em homenagem ao livro O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde. No livro, o personagem principal faz um pacto para que uma pintura sua envelheça no seu lugar. Assim, ele se conserva sempre jovem, ao contrário do quadro, que cada vez mais vai ficando velho.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

[Curiosidades Literárias] Segredo de briga entre Vargas Llosa e García Márquez vai para o túmulo


 

O motivo da briga que separou os prêmios Nobel de Literatura latino-americanos Gabriel García Márquez e Mario Vargas Llosa vai para o túmulo com eles, disse nesta quinta-feira (24) o escritor peruano.

A discórdia ocorreu em 1976 durante um encontro de escritores no México, quando Vargas Llosa deu um soco certeiro no colombiano García Márquez, deixando o olho esquerdo dele roxo e encerrando a amizade de uma década.

A razão da disputa tem sido um enigma para a imprensa e até mesmo para os biógrafos dos dois ganhadores do Prêmio Nobel. Nesta quinta-feira, Vargas Llosa disse na Venezuela, onde os dois se conheceram, que levará o segredo para o túmulo.

"É um pacto entre García Márquez e eu. Ele respeitou isso até a sua morte e vou fazer o mesmo", disse Vargas Llosa respondendo à pergunta sagaz em busca de uma pista sobre o mistério após a morte, na semana passada, do colombiano que revolucionou a literatura.

"Vamos deixar nossos biógrafos, se merecemos isso, investigar o assunto", disse o autor de "Conversa na Catedral" em uma entrevista coletiva, depois da abertura de um fórum "pela liberdade econômica" que ele participou em Caracas, na Venezuela.

Testemunhas presenciais disseram anonimamente, durante anos, que García Márquez foi atingido por Vargas Llosa "pelo o que ele fez para Patricia", a mulher do peruano.

Uma teoria diz que o autor de "Cem Anos de Solidão" poderia ter sugerido a Patricia Llosa que se separasse do seu marido por uma suposta infidelidade dele.

Outra mais complicada garante que Patricia, para se vingar do seu marido, deu a entender que tinha um relacionamento com "Gabo". Aquela briga entre eles ficou registrada em uma foto do fotógrafo Rodrigo Moya na qual García Márquez aparece com o olho esquerdo roxo, mas sorrindo.


Antes, em 1971, Vargas Llosa havia publicado uma análise da obra do colombiano intitulada "García Márquez: história de um deicídio".

Apesar da briga, Vargas Llosa lamentou a morte de Gabo, mas lembrou que aconteceu com García Márquez o que todo escritor gostaria que acontecesse: "que sua obra sobreviva".

García Márquez morreu em 17 de abril aos 87 anos em sua casa na Cidade do México, onde viveu a metade da sua vida.

O Nobel colombiano também se desentendeu com a norte-americana Susan Sontag e o mexicano 

Octavio Paz depois de que os dois condenaram a sua "desonestidade intelectual" pela sua amizade com o líder cubano Fidel Castro.