sexta-feira, 19 de março de 2010

Post número 100 e outras coisas

Pois é, meus dez amigos imaginários, que acompanham esse obscuro blog de literatura, após quase um ano, nós chegamos ao post número 100 (grandes merdas!). Pois é, 100 post somente sobre literatura é muita coisa (grandes merdas! Não comi ninguém por isso), tanto, que se eu estivesse no saudoso XuXa Parque eu mandaria um beijo para minha mãe, meu pai, minha namorada, para a caravana de Fortaleza e, especialmente, para Xuxa e pra Sacha... Enfim, só queria dizer aos meus dez amigos imaginários, que irei começar uma nova sessão no blog, chamada de "Referência Literária do dia"(Mentira, isso aqui é so pra dizer que cheguei ao post número 100). Mas por que esse nome? Vocês devem estar se perguntando. Eu respondo, porque eu quis, ora mais!

Brincadeira as partes, nessa sessão tentarei mostrar que a literatura está presente em vários cantos da nossa vida, mesmo que não percebemos, não se restringindo, assim, ao mundinho fechado dos livros e intelectuais. Muitas vezes, escutamos uma música, vemos um filme, lemos uma frase e, sem perceber, uma referência literária está escancarada na nossa cara. Nessa sessão, tentarei mostrar como a literatura está presente no nosso dia a dia, como ela é um ser vivo e pulsante.

Pra começar, vamos falar das clássicas citações ao livro Admirável Mundo Novo, escrito em 1932 pelo britânico Aldous Huxley. Escrito em 1932, este livro é uma antevisão de um futuro no qual o domínio quase integral das técnicas e do saber científico produz uma sociedade totalitária e desumanizada. Esta ficção científica surpreende pela clareza do texto, pela lucidez do autor e pela atualidade das questões levantadas.


A banda inglesa Iron Mainden, por exemplo, possui um Álbum chamado Brave New World (Admirável Mundo Novo, em português). No Brasil, também podemos citar como exemplo a música da eterna roqueira baiana Pitty, chamada Admirável Chip Novo.

Por último, temos, também, a música do mestre Zé Ramalho, chamada Admirável Gado Novo (quem não se lembra da novela). A qual a letra segue abaixo:

Vocês que fazem parte dessa massa
Que passa nos projetos do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais do que receber...

E ter que demonstrar sua coragem
À margem do que possa parecer
E ver que toda essa engrenagem
Já sente a ferrugem lhe comer...

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado
Êh!
Povo feliz!...(2x)

Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal...

E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou...

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado
Êh!
Povo feliz!...(2x)

Oooooooooh! Oh! Oh!
O povo foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores tempos idos
Contemplam essa vida numa cela...

Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo se acabar
A Arca de Noé, o dirigível
Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar...

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado
Êh!
Povo feliz!...(2x)

1 comentário:

  1. Ótimo post. Blog Incrível. Parabéns. Não consigo parar de ler. Ótimo. Ótimo!

    ResponderEliminar