segunda-feira, 19 de Julho de 2010

[Curiosidades Literárias] Academia francesa de letras inspirou a brasileira


A Academia Brasileira de Letras (ABL) nasceu inspirada na Academia Francesa, fundada em 1634, pelo Cardeal Richelieu, para estabelecer e manter os padrões literários franceses. A semelhança entre elas não estava apenas nos objetivos. No início, a ABL tinha trinta membros mas, para ficar mais parecida com a francesa, que tinha quarenta, foram eleitos mais dez, número mantido até hoje. Mesmo o fardão, usado pelos imortais, como são chamados os seus membros, é bastante semelhante ao francês. A principal diferença entre as duas é que a francesa aceita escritores de todos os países que falam francês e a ABL, apenas brasileiros.
A ABL foi fundada em novembro de 1896, no Rio de Janeiro. O escritor Machado de Assis (1839-1908), seu primeiro presidente, liderou o movimento pela sua fundação. Até meados dos anos 70, o regimento era machista: somente autores masculinos eram aceitos. Apenas em 1976 foi aprovada a eleição também de escritoras. A primeira eleita foi Rachel de Queiroz. A palavra “academia” é uma referência ao semideus Academus. Platão ensinava Filosofia, em Atenas, em um jardim de oliveiras consagrado a essa divindade.