quarta-feira, 5 de Janeiro de 2011

Os 10 maiores escritores russos de todos os tempos

Na humilde opinião do autor deste Blog, a Literatura Russa é, sem dúvidas, a melhor espécie de literatura já produzida por um povo. Quem já teve a oportunidade de ler algo que veio desse maravilhoso país de bêbados e fanáticos religiosos, sabe que a Rússia em muito se assemelha ao Brasil. É um país continental, sem um povo ou identidade cultural bem definidos, com um povo alegre e sofrido, e principalmente, é um país extremamente corrupto. Sim, meus amigos, o velho “jeitinho brasileiro” poderia muito bem se chamar “jeitinho russo”, pois as mesmas artimanhas para burlar a lei que são usadas em nosso Brasil sil sil, também são constantemente utilizada na Rússia para burlar a lei. Enfim, excluindo-se os nomes, que são bem complicados, não há muitas dificuldades em ler algo que veio da Rússia (quando traduzidos, é claro). Substituindo-se os nomes, a maioria dos livros de autores russos poderiam se passar facilmente no Brasil sem que ninguém notasse que eles não foram escritos por brasileiros. No mais, não há nada melhor que um russo barbudo para deixar as coisas mais interessantes. Assim, fiz uma pequena lista dos 10 melhores autores russos de todos os tempos.
10. Alexandre Pushkin
Alexandre Pushkin é considerado o fundador da moderna Literatura Russa e, ainda, é considerado por muitos o maior poeta russo. Grande amigo de Gogol, seu estilo literário se assemelha um pouco ao romantismo. Sua promissora carreira literária foi abreviada aos 37 anos, ao ser morto bancando o garotão em duelo, contra o suposto amante de sua esposa (comenta-se que tal duelo teria sido arranjado pelo tsarismo, uma vez que o poeta estaria incomodando a alta sociedade russa).
09. Alexander Soljenítsin

O ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1970, teve uma vida bastante sofrida. Preso pelo regime comunista por fazer críticas ao ditador Stalin, Soljenítsin foi condenado a 08 anos de trabalhos forçados nos temidos campos de concentração soviéticos, os chamados Gulags (saiba mais sobre eles aqui). Por meio de suas obras, conscientizou o mundo sobre a crueldade dos Gulags Soviéticos.

08. Máximo Gorki
Escritor de escola naturalista considerado o elo de transição entre a geração de Tolstoi e Tchekhov com a nova geração de escritores soviéticos, como Babel. Militante marxista, teve uma infância e juventude miseráveis, tendo inclusive tentado o suicídio (com um tiro, que atingiu um de seus pulmões). Mais tarde, usou suas experiências pessoais para escrever diversos de seus livros. Suspeita-se que tenha morrido envenenado a mando de Stalin (Stalin era uma pessoa maravilhosa, vocês não acham?). Alguns historiadores acreditam que o ditador soviético morria de inveja do fato de o bigode de Gorki, muito maior e sedoso, ser mais bonito que o seu (Brincadeira...).

07. Vladimir Maiakovski
Considerado por muitos o maior poeta da era soviética, Maiakovski desde muito cedo se envolveu com os movimentos pré-revolucionários. Após o triunfo da revolução, apresentou-se como o escritor do futuro – do apogeu da máquina, da eletricidade e do urbanismo –, e se viu emaranhado na burocracia e nos equívocos que sucederam na União Soviética, após a Revolução de 1917. Como a tempestade, o poeta foi excessivo e intenso na vida e na obra, mas decidiu interrompê-las em pouco tempo: suicidou-se com um tiro aos 37 anos incompletos. 

06. Isaac Babel

Babel foi um escritor soviético de origem judaica nascido na Ucrânia. Teve uma vida bastante difícil, pois nasceu e cresceu em uma época em que os judeus eram perseguidos por toda a Europa, inclusive pelo então Império Russo. Aos 26 anos ingressou no Exército Vermelho durante as guerras com Ucrânia. Foi essa experiência traumática que o inspirou a escrever mais tarde a sua obra-prima - “O Exército de Cavalaria” -, livro em que narrar por meio de pequenos contos os horrores da guerra. Era discípulo e protegido de Gorki, que muitas vezes o salvou da fúria de Stalin. Com a morte de Gorki e, apesar de ter sido um idealista defensor do marxismo e leninismo, foi preso, torturado e executado durante o Grande Expurgo de Stálin (É só eu, ou mais alguém acha que Stálin foi um ser humano maravilhoso...).

5. Ivan Turguêniev

Escritor nascido em família rica (Milagre!) viveu durante muitos anos fora da Rússia. Suas experiências no estrangeiro tiveram grande influência em sua obra, fato que o fez ficar conhecido como o mais ocidentalizado dos escritores russos. Era desprezado por Dostoievski, que não suportava o seu pensamento cosmopolita, mas isso não o impediu de pedir-lhe dinheiro emprestado. Turguêniev só emprestou metade da quantia – paga 11 anos depois.
4. Fiódor Dostoievski

Somente uma literatura tão completa como a Literatura Russa é capaz de deixar alguém como Dostoievski em 4º lugar desta lista. Um dos maiores autores da história da humanidade, Dostoievski teve uma vida bastante complicada. Na juventude, foi preso acusado de conspiração contra o Tsar. Condenado a morte, teve sua pena transformada em trabalhos forçados somente quando já estava prestes a ser fuzilado, tal fato o marcou para sempre. Viveu anos preso na Sibéria até finalmente ser solto. Crente fanático, epiléptico, viciado em jogo, passou boa parte de sua vida endividado, fugindo de credores. Entre uma fuga e outra escreveu alguns dos maiores clássicos da literatura mundial.
03. Nicolai Gogol
Contista genial, romancista e teatrólogo, é considerado, juntamente com Aleksandr Púchkin, um dos fundadores da moderna literatura russa. Renovador e vanguardista, trouxe para a literatura russa o realismo fantástico e escreveu algumas obras-primas do conto universal. Os contos O capote - considerado por Jean-Paul Sartre como fundador da literatura moderna -, e O Retrato são algumas das peças mais líricas da vertiginosa obra de Gogol. Dostoievski o considerava um grande mestre. (Saiba mais sobre Gogol aqui)

02. Leon Tolstoi
A vida de Tolstoi é bem simples, nasceu rico (era conde) mas ficou órfão muito cedo. Quando ficou mais velho, lá pelos 20 anos, resolveu fazer que nem o Ferris Bueller, ou seja, resolveu curtir a vida adoidado. Alistou-se no exército russo, passou a beber todas e gastar toda a grana dos pais em jogos e putas. Pode-se dizer que, nessa época, na cidade em que Tolstói passava, não existia puta pobre.

Ficou mais velho, casou, teve filhos e aquietou o rabo. A mulher era uma chata, por isso eles passaram boa parte da vida conjugal brigando e discutindo. Sem ter o que fazer, ele passou a escrever e nessa brincadeira escreveu alguns dos maiores clássicos da literatura mundial, como Guerra e Paz e Anna Karenina.
Quando ficou velho (82 anos) Tolstói se cansou da vida e resolveu fugir de casa, pois não acreditava mais na vida que vivia. O velho então pegou as malas e saiu viajando de trem pela Rússia. Durante alguns dias a fuga foi um sucesso. Nos trens e nas estações por que passava, Tolstoi era reconhecido por todos, já que era o homem mais famoso da Rússia. Porém, devido a sua preferência em viajar em vagões de terceira classe, onde havia frio e fumaça, o já debilitado escritor contraiu uma pneumonia, que foi agravando rapidamente. No dia 20 de novembro de 1910, o velho escritor morreu durante a fuga, de pneumonia, na estação ferroviária de Astapovo, província de Riazan.

O trem funerário que trazia seu corpo foi recebido por camponeses e operários que viviam próximos à propriedade dos Tolstoi. Seu caixão foi carregado seguido por uma multidão de 3 a 4 mil pessoas. O número teria sido ainda maior se o governo de São Petesburgo não tivesse proibido a vinda de trens especiais de Moscou para o enterro do escritor. Sua morte foi noticiada nos principais jornais do mundo.

01. Anton Tchekhov

Tchekhov inventou uma nova forma de escrever contos: “um mínimo de enredo e o máximo de emoção”. Suas histórias eram o contrário das histórias intrigantes, de desfecho inesperado, que predominavam entre os praticantes do gênero; ele preferia criar atmosferas, registrando situações abertas que não se encerravam no fim dos relatos. É o que chamamos hoje de conto moderno. Com uma visão de mundo ora humorística, ora poética, ora dramática, Tchekhov captou momentos ocasionais da realidade, fatias de vida, pequenos flagrantes do cotidiano, estados de espírito da gente comum. A genialidade de sua arte está em transformar uma série de incidentes laterais e de pormenores aparentemente insignificantes da existência individual em representações perfeitas do destino humano. Suas histórias não tinham o fanatismo e a densidade de Dostoievski nem o idealismo de Tolstoi, eram apenas humanas.

38 comentários:

  1. Surpresa agradável.
    Sou um fanático por literatura russa, coleciono e aprecio livros e mais livros desses mestres.
    Por assim dizer, realmente a Rússia se parece muito com esse nosso Brasil.

    Encontrei por acaso o seu blog, e que boa surpresa.
    Confesso que ao ler os autores e alguma coisinha sobre sua biografia, fiquei tenso na não-chegada de Tchékhov... mas lá estava ele, no final.
    Tchékhov e seus contos fazem parte do meu seleto grupo de melhores escritores. Sem contar claro, com Dostoiévski e Tolstói.
    Os outros acima citados também são de uma riqueza e profundidade literária inimaginável.
    Parabéns, ao seu post e ao seu blog.

    Até uma próxima

    ResponderEliminar
  2. É fera, literatura russa é ótima.
    Li e reli Crime e Castigo e Recordações da Casa dos Mortos do mestre Dostoievsk.

    ResponderEliminar
  3. É esse tipo de informação que faz falta na Internet de muitas casas.

    Parabéns!!!

    ResponderEliminar
  4. li guerra e paz do tostoi,simplesmente fantastico

    ResponderEliminar
  5. "e aquietou o rabo"


    Haha, incrível, colega.

    ResponderEliminar
  6. Também sou seguidor e acondicionado à literatura russa. Feliz em ler os comentários de vocês.

    Grato,

    Luís Lyr

    ResponderEliminar
  7. Olá, encontrei o seu blog por acaso ou será previsivelmente?...enfim, adoro a literatura russa, sou um grande admirador e profundamente acondicionado a ela. No momento estou lendo Doutor jivago...e é impressionante a descrição dos fatos.
    Se vc não leu, não perca tempo....

    ResponderEliminar
  8. Anton Tchekhov é muito louco cara... perfeito colocá-lo em primeiro...

    ResponderEliminar
  9. Esta indubitavelmente é uma das vertentes da literatura com maior diversidade cultural, em âmbitos muito diversificados.Parabéns!
    Salvo o esquecimento dos pensamentos do anarquista Mikhail Bakunin!!
    No entanto, estás anistiado, sei que são tantos e com tantas obras magníficas que se torna difícil ser totalmente abrangente!!!
    A literatura e as artes em si são com o infinito!!!

    ResponderEliminar
  10. A mulher de Tolstoi não era exatamente uma chata de galocha.Eles viviam um casamento complicadíssimo, principalmente porque a partir de um determinado momento Tolstoi foi enredado por um crápula que o dominou psicologicamente e instigava-o contra a esposa.Tanto a mulher quanto ele eram instáveis psicologicamente; sendo que o perfil dele era o de não conjugar teoria com a prática da vida, o que a deixava furiosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Sofia Tolstoi nao era uma chata, apesar de assim ser retratada. Existe o seu diario publicado, bem como um livro de Alexandra Popoff que teve acesso aos diarios de amigos e filhos de Sofia e Leon.
      Sofia sofreu bastante, mas estoicamente nunca abandonou o marido, fazendo sempre o que ele desejava. Ele foi um genio mas como homem de familia nem tanto.
      Ele sofria pela Humanidade mas nao pelos filhos (varios morreram e quase todos adoeceram gravemente). Sofia serviu de inspiraçao para muitas das suas personagens.

      Leia os livros que te aconselhei, garanto que sao um leitura fantastica e esclarecedora =)

      (Nao tenho acentos no computador. Peço desculpa

      Eliminar
  11. Desculpe, não estou criticando, mas a vida de Tolstói não é bem isso. existe uma biografia focada nos seus últimos dias de vida, lá se encontra o que dizem que aconteceu realmente com ele. (os últimos dias de Tolstói - Penguin). o leitor ainda mais interessando, pode encontrar também um resumo bem esclarecedor da vida de Tolstói nos livros 'Anna Kariênina - Cosac Naify (traduzido direto do russo)' e também a nova tradução de 'Guerra e Paz (editora:ibid)'. para vocês que gostam dos russos, leiam a 'Nova antologia do conto russo (editora 34, que também traduz direto do russo)', vários contos inéditos e vários autores que será uma nova experiência por serem novas suas traduções no Brasil. aos que gostam de Tchékhov, existe um livro que se chama 'Carta e literatura : Correspondência entre Tchékhov e Górki' - com ele é possível conhecer muito sobre o autor. abraço, espero ter ajudado em alguma coisa.

    ResponderEliminar
  12. Concordo que a vida de tolstoi não era exatamente essa, nem que o mesmo fosse uma pessoa coerente. É de conhecimento geral que ele mesmo não vivia completamente de acordo com o que pregava. Sim, ele era bastante instável psicologicamente. Apesar de defender a castidade, teve uma penca de filhos. O post, e isso vale para todos os autores citados, foi apenas uma pequena amostra da vida de dele, já que não da para escrever um biografia completa de ninguém em um blog de internet. Quanto aos livros citados, li apenas o "Nova antologia do conto russo", o qual indico fortemente os apreciadores tanto do gênero conto como da literatura russa em geral. Abraços a todos.

    ResponderEliminar
  13. Dá vontade de aprender russo só pra poder ler esses caras no original. Valeu!

    ResponderEliminar
  14. Ainda incluiria nessa lista Vladimir Nabokov com seu clássico, Lolita.

    ResponderEliminar
  15. Eu discordo dessa classificação, na minha opinião, Dostoievski em primeiro; Tolstoi em segundo e Gorki em terceiro. Com relação a Tchekhov, sou muito mais os contos de Gorki (Vagabundo Original)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dostoievski é, na minha opinião o melhor escritor desde sempre

      Eliminar
  16. Você poderia escrever sem usar palavrões e sarcasmo. O resto está ótimo, parabéns

    ResponderEliminar
  17. a literatura russa e tua diversidade pelos autores que dela fizeram parte, nos move aos confins do pensamento do cotidiano do relacionamento da sociedade da epoca, das dificuldades do dia a dia e politica estabelecida naquele país. sou fã incondicional de dostoievskie e deste li tudo, a os outros autores nao tão menos genias os li uma obra ao menos de cada qual. quem ainda nao os conhece por favor obrigue-se a le-los, pois a literatura russa esta pra todos como um conpêndio do saber da escrita. Leandro Ricardo - São Paulo

    ResponderEliminar
  18. Acho que falta o Boris Pasternak

    ResponderEliminar
  19. Já ouvi um Russo, Professor de língua e história russa, criticar (crítica negativa) Boris Pasternak. Gostava de ter tido tempo de perceber porquê...

    ResponderEliminar
  20. Ler livros na língua original parece-me uma missão impossível: há quase 1 ano que estudo Russo e apenas ainda leio textos para iniciados ... no outro dia tentei traduzir Kafka ("o novo advogado") e não passei do primeiro parágrafo...depois vi a tradução, feita por um Brasileiro (sou Portuguesa) e achei que realmente o texto era impossível :-) mas Kafka é Kafka...

    ResponderEliminar
  21. Por último : na realidade, quem conduziu e manipulou a situação que levou à morte Alexandre Pushkin, foi uma Portuguesa, neta da Marquesa de Alorna (in Milhazes, J., Saga dos Portugueses na Rússia (...)). Fê-lo por ódio ao homem e Odiou-o até ao momento em que morreu...consigo imaginar o que aconteceu, uma vez que quando travaram conhecimento eram amigos :-)

    ResponderEliminar
  22. Meu Amigo, muita objetiva e bem humorada a sua página. Poderia até aprofundar mais a pesquisa sobre os escritores e lançar um livro nesse estilo. Parabéns!

    ResponderEliminar
  23. Apesar de adúltera "Anna Karenina", se torna um personagem amável no romance.
    A arte de escrever de 'Tolstoi' é incomparável.

    ResponderEliminar
  24. Olá, não sei dizer agora, se Tolstoi, ou você me chama mais a atenção! Incrível que alguém ou sua vida possa ser tratada de forma tão vulgar como foi feita aqui. Realmente, Tolstói foi muito contraditório, como a grande maioria dos homens aliás, quanto a "chatice" de sua esposa, o que esperar de alguém que se dedica ao marido e filhos, é uma inspiração para suas obras, apoiava, e de repente aparece um CAMARADA (este SIM um CHATO INVEJOSO INESCRUPULOSO) e se mete na vida do casal? Digo mais, somente sendo "instável" para suportar um homem suscetível assim! E para finalizar: dizer palavrões já é feio de ouvir LER, sem comentários!

    ResponderEliminar
  25. Parece-me que falta o Boris Pasternak.

    ResponderEliminar
  26. amei sua descrição debochada dos escritores russos, vc já leu todas as obras dos citados? Parabéns!

    ResponderEliminar
  27. Amo a literatura russa, quando fiz dezoito anos fui presenteada com Crime e castigo de Dostoievski, amei, ele é o meu preferido através dele quis conhecer todos os escritores russos, sempre escrevi desde meus 7 anos aos 14 escrevi minha primeiras poesias e escrevo até hoje tenho uma página no face: https://www.facebook.com/escritoressencial?fref=ts no qual ao procurei na web por escritores russos e encontrei este blog aqui e então quis fazer uma homenagem aos russos e postei este link aqui. É isso ai ainda quero ler muito todos eles sempre

    ResponderEliminar
  28. Nutro um amor "à distância" pela Rússia e seu povo - sem, contudo, gostar desse tal "jeitinho" que você compara ao dos brasileiros. Adorei as informações que escreveu sobre os 10 maiores escritores russos; linguagem informal e bem concisa, parabéns!

    ResponderEliminar
  29. Nao encontrei na lista Isaac Asimov, o pra mim um grande escritor. Considerado o pai das leis roboticas (inteligencia artificial). Com seus contos de ficçao cientifica como Eu Robo e O Homem Bicentenario, entre outros. Nao sei exatamente os criterios da lista mas pra mim o melhor escritor Russo

    ResponderEliminar
  30. Eu também sou fã da literatura russa principalmente as obras de Dostoiévski(crime e castigo) e os contos de Tchekhov.

    ResponderEliminar
  31. Li Almas Mortas de Gogol, além de outros, mas essa obra me divertiu muito na minha adolescência. Francisco - Aracaju

    ResponderEliminar
  32. o mundo para mim é dividido em AM e DM, antes e depois de Maiakovski. mais do que um poeta, o personagem mais importante do século 20.

    ResponderEliminar
  33. Mas o que é isso, que insulto à vida de Leon Tolstoi! "Alistou-se no exército russo, passou a beber todas e gastar toda a grana dos pais em jogos e PUTAS."
    Grande escritor, não pode ser retratado desta forma neste blog desqualificado. Teve seus altos e baixos na vida, mas não foi bem assim. Simplesmente ignorante e absurda seu retrato da carreira de Leon Tolstoi!

    ResponderEliminar
  34. Olá fui casada com um russo de Moscow. Desde menina me interesso pela história da USoviética e Rússia. Postei ontem no meu Blog Alegria e abundância. Consultei seu Blog para a confirmação do nome dos escritores. De fato, é a Marina?

    ResponderEliminar