sábado, 29 de outubro de 2011

Os mais memoráveis inícios de livros

Se por um lado é certo que não podemos julgar um livro apenas pelo seu início, por outro lado é igualmente certo que um bom início de livro pode ser decisivo na escolha do leitor acerca da leitura ou não da obra. Assim, elaborei uma pequena lista dos mais memoráveis começos de livros que eu já tive o prazer de ler. Passemos a ela:

O Estrangeiro - Albert Camus



"Hoje, mamãe morreu. Ou talvez ontem, não sei bem. Recebi um telegrama do asilo: "Sua mãe faleceu. Enterro amanhã. Sentidos pêsames.". Isso não esclarece nada. Talvez tenha sido ontem."

Memórias Póstumas  de Brás Cubas - Machado de Assis



"Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais elegante e mais novo."

Memórias do Subsolo ou Notas do Subterrâneo -  Fiódor Dostoiévski


"Eu sou um homem doente... Sou um homem malvado. Sou um homem desagradável. Creio que tenho uma doença do fígado. Aliás, não compreendo absolutamente nada de minha moléstia e não sei mesmo exatamente onde está o mal."

Fahrenheit 451 - Ray Bradbury


"Queimar era um prazer".

A Metamorfose - Franz Kafka


"Certa manhã, ao despertar de sonhos intranquilos, Gregor Samsa encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso".

O Processo - Franz Kafka 


"Alguém certamente havia caluniado Josef K., pois, sem que tivesse feito mal algum, ele foi detido certa manhã."

Anna Karenina - Liev Tólstoi 


"As famílias felizes são todas iguais; as infelizes são infelizes cada uma a sua maneira".

Cem anos de Solidão - Gabriel García Márquez


"Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo."


E paras vocês, caros leitores, quais são os mais impressionantes inícios de livros?

3 comentários:

  1. Nossa, quando eu li Memórias do Subsolo eu achei a mesma coisa! Pensei: "Que início legal. Legal mesmo." :D

    ResponderEliminar
  2. Paulo,
    gostei do seu blog, curti este texto, citei-o no Dose e fiz um post inspirado no teu: http://www.doseliteraria.com.br/2013/02/os-mais-memoraveis-inicios-de-livros.html

    Voltarei mais vezes.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  3. Bem legal, eu já havia escrito um post parecido algum tempo atrás, estou preparando outro, com frase que eu idolatro..
    Abs

    ResponderEliminar