terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Partido Comunista chileno pede exumação do corpo de Neruda


O Partido Comunista do Chile solicitou a exumação do corpo do poeta Pablo Neruda, morto em 1973. O pedido visa esclarecer as circunstâncias da morte do Nobel de Literatura. Morto 12 dias após o golpe patrocinado pelos militares contra o então presidente Salvador Allende, de quem era aliado, Neruda, ao que se sabe, foi vítima de um câncer de próstata. Os comunistas, porém, alegam que ele foi envenenado.

Manuel Araya, ex-motorista e amigo do poeta, em depoimento às autoridades chilenas, mudou o foco do tema ao declarar que Neruda não estava na fase terminal da doença e, sim, foi assassinado pelo regime militar de Augusto Pinochet. Segundo Araya, Neruda foi levado a uma clínica em Santiago, no periodo do golpe, por motivo de segurança. 

Foi nessa clínica que Neruda teria recebido uma injeção letal. Antes de morrer, o poeta falou com o motorista ao telefone, relatando febre depois de receber uma injeção no estômago."Ele estava doente de câncer, mas estava muito bem. O governo militar não queria que saísse do país e por isso o matou", alega Araya.

De acordo com as informações oficiais da época, Neruda faleceu no dia 23 de setembro de 1973, na Clínica Santa María, em decorrência do câncer de próstata. Informações colhidas recentemente pelo governo chileno, do hospital onde ele se tratava, asseguram que a doença estava sob controle.

Agora, o Partido Comunista do Chile alega que é uma questão moral para o país descobrir se Neruda foi mais uma vítima do regime cruel que assolou o país entre 1973 e 1990.

Sem comentários:

Enviar um comentário