quinta-feira, 21 de Julho de 2011

[Curiosidades Literárias] É verdade que Fernando Pessoa...?



..Fez slogan para a Coca-cola?
"Primeiro, estranha-se, depois entranha-se." O slogan foi bolado pelo poeta entre 1927 e 1928, e deveria marcar a entrada do refrigerante em Portugal. Mas, segundo biografias de Pessoa, o regime fascista e paranoico de António Salazar viu na frase evidência da ligação da bebida com a cocaína. Na versão mais efervescente da história, o estoque do refrigerante que já estava em Lisboa foi apreendido e jogado no mar. O fato é que a Coca-Cola só entrou em Portugal em 1977, 9 anos após a morte do ditador e 3 após o fim da ditadura.




...Criou uma lista telefônica universal?
Em 1925, Pessoa patenteou uma lista telefônica mundial que usaria apenas figuras. Um dentista brasileiro teria nossa bandeira e um dente, por exemplo. É, outro projeto que não deu certo.


...Escreveu um guia turístico?
Lisbon, What a Turist Should See foi escrito (e não publicado) em inglês - mais um plano frustrado. Como os originais só foram descobertos 60 anos depois, os editores dão um conselho bem lusitano: "Contate as atrações citadas a fim de certificar-se de que ainda existem".



...Armou um desaparecimento?
Em 1930, o ocultista britânico Aleister Crowley já trocava cartas com o poeta havia um ano e se convidou para um tour guiado por Portugal. Trouxe junto uma jovem amante, brigou feio com ela e sumiu do mapa. Sequestro? Assassinato? Suicídio? Pessoa tentou emplacar um livro sobre o desaparecimento do então mago mais pop do mundo - queria 200 libras adiantadas de quem topasse. O fato de que era tudo uma mentira bolada por ele e Crowley deve ter contribuído para o fracasso de mais esse projeto.

Retirei daqui

domingo, 10 de Julho de 2011

[Curiosidades Literárias] Quem foi a verdadeira Alice do País das Maravilhas?


O que você faria se a sua filha de 7 anos estivesse muito amiga de um esquisitão de 31, fazendo com ele demorados passeios de canoa e posando para seus retratos artísticos? Em vez de chamar a polícia - como qualquer família normal - a de Alice Pleasance Liddell incentivou seu relacionamento com Charles Dodgson, um escritor que assinava como Lewis Carroll. E a menina acabou sendo a musa inspiradora dos clássicos Alice no País das Maravilhas (1865) e Através do Espelho (1871) - este inclusive termina com um poema em que as primeiras letras de cada estrofe formam o nome da menina. Até hoje não é claro o que exatamente estava rolando entre a menina e o escritor. Especula-se, e ninguém poderia deixar de especular, que havia uma paixão, consumada ou não. Sempre se acreditou que, quando ele deixou de frequentar a casa dos Liddell subitamente, em 1863, foi porque os pais de Alice haviam resolvido dar um basta naquele relacionamento inapropriado. Mas documentos descobertos pela biógrafa Karoline Leach mostram que Carroll talvez fosse tão simpático com Alice e suas irmãs porque estava interessado mesmo era na governanta da casa.

Já adulta, Alice soube usar a fama da personagem a seu favor. Mãe de 3 filhos e apertada de grana após a morte do marido rico, leiloou o valioso manuscrito de As Aventuras de Alice Embaixo da Terra (primeiro nome de Alice no País das Maravilhas). Ela já não mantinha contato com Lewis Carroll. O escritor anotou em seu diário que se lembraria dela pra sempre "como aquela menininha de 7 anos completamente fascinante".

Vi Aqui